Assembleia e Judiciário de Portugal vão investigar esquema de adoções da IURD Assembleia e Judiciário de Portugal vão investigar esquema de adoções da IURD
Depois de quase 20 dias em silêncio, o parlamento português e o Conselho Superior da Magistratura anunciaram nesta segunda-feira que vão investigar o esquema... Assembleia e Judiciário de Portugal vão investigar esquema de adoções da IURD

Depois de quase 20 dias em silêncio, o parlamento português e o Conselho Superior da Magistratura anunciaram nesta segunda-feira que vão investigar o esquema de adoções ilegais da Igreja Universal do Reino de Deus em Lisboa. O esquema, descoberto pelas jornalistas Alexandra Borges e judite França, da TVI de Portugal, foi objeto de um contundente denúncia na série O Segredo dos Deuses, veiculada na segunda quinzena de dezembro de 2017.

Movimento Verdade colhe assinaturas no Porto

A investigação parlamentar se deve ao esforço do Movimento Verdade, organização espontânea de mães que se dizem indignadas com o silêncio das autoridades portuguesas sobre o assunto, que finalmente começa a ser quebrado. Elas organizaram manifestações em várias cidade do País com o propósito de angariar assinaturas para instruir uma moção endereçada ao Poder Legislativo.

O Movimento Verdade conseguiu recolher mais de 8 mil assinaturas, dobrando o número mínimo necessário para dar efetividade à moção, que era de 4 mil. Agora, o assunto irá à análise de constitucionalidade. O objetivo, segundo os organizadores da moção, é fazer com que a Assembleia crie uma comissão especial para investigar o assunto.

A investigação do Poder Judiciário

Simultaneamente, o Conselho Superior da Magistratura, órgão máximo de representação da magistratura, decidiu também investigar os procedimentos adotados nos casos denunciados pelos tribunais e demais órgãos responsáveis pela tutela e pela lisura dos processos de adoção em Portugal.

Para o vice-presidente do Conselho, o juiz-conselheiro Mário Belo Morgado, “a análise dos casos e procedimentos revela-se da maior importância para avaliar se as situações foram ultrapassadas pela nova lei e para aferir dos procedimentos prévios às decisões e da interação dos tribunais com as instituições com responsabilidade no percurso de preparação das decisões judiciais”.

Leia abaixo a íntegra da representação do Movimento Verdade e do Conselho Superior da Magistratura.

Moção à Assembleia

petição assembléia

Nota do Conselho Superior da Magistratura

document(157)

Universal Truth Portugal

No comments so far.

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *