As cinco omissões graves da IURD para manipular a verdade As cinco omissões graves da IURD para manipular a verdade
Por Alexandra Borges Fico espantada cada vez que leio os comunicados do gabinete da IURD a defender o indefensável, tentando manipular os factos para... As cinco omissões graves da IURD para manipular a verdade

Por Alexandra Borges

Fico espantada cada vez que leio os comunicados do gabinete da IURD a defender o indefensável, tentando manipular os factos para esconder a verdade sobre as adoções ilegais da IURD.
Não vou dar-me ao trabalho de corrigir os erros porque são muitos, mas vou assinalar algumas OMISSÕES GRAVES:

1- o lar da IURD em Lisboa,de onde desapareceram as crianças, era ILEGAL, facto já confirmado pelas autoridades portuguesas

2- O relatório sobre a pobreza desta mãe (água sem luz,sem móveis,etc) é o mesmo que afirma que a mãe biológica das crianças era toxicodepende e Seropositiva — quando os hospitais de Portugal já confirmaram que a senhora nunca foi seropositiva nem toxicodependente, até porque é, e sempre foi, dadora de sangue! Aliás, estes relatórios já foram considerados falsos pela própria segurança social portuguesa e santa casa da misericórdia, que abriram inquéritos internos para investigar como foi possível as suas técnicas escreverem estas mentiras que levaram a adoção das crianças que, por tudo isto, é ilegal à luz da lei portuguesa (apesar de terem sido decretadas por tribunais que foram enganados!)

3- Os “netos” do Bispo EDIR Macedo nunca foram adotados por a sua filha Vivianne. Vera e Luis nunca foram netos legais do fundador da IURD.Foram adotados pela secretária de EDIR Macedo e entregues à sua filha Vivianne, como se de encomendas se tratassem.
Porque é que o Bispo Macedo nunca fala disto?

4- No processo de tribunal do qual fala o gabinete de comunicação da IURD está também uma carta de 11 páginas escrita por Márcia Panceiro, mulher do Bispo Romualdo que é o responsável máximo da IURD em Portugal, confessando todo o esquema das adoções ilegais. É um documento único de uma confissão que vem de dentro da IURD, da mulher de um Bispo importante da IURD.
A carta esta no processo para quem a quiser ler e nunca a IURD a desmentiu mas sempre a tentou ignorar como se não existisse.Mas EXISTE.

5- Em Portugal respeitamos a liberdade de imprensa, tanto como o direito ao contraditório. Enviamos mais de 20 e-mails ao Bispo Macedo, à Vera, ao Luis e à restante cúpula da IURD com muitas perguntas que nunca foram respondidas. Mais, foram vários os convites da TVI para entrevistas e participações em direto nos programas da TVI. Convites a que a IURD nem sequer se deu ao trabalho de responder… portanto agora não venham mentir e dizer que nunca ouvimos o vosso lado! Nós sempre o quisemos fazer mas, pelos vistos, a IURD não tinha respostas para as nossas perguntas, só acusações gratuitas que serão tratadas nas instâncias próprias.

Por fim…não usem a religião para esconder os vossos crimes Ninguém tem nada contra os fiéis da iurd que são pessoas de bem, mas temos tudo contra a cúpula da IURD que cometeu estes crimes.
Os crimes até já podem estar prescritos na lei portuguesa, mas a VERDADE, essa, nunca prescreve.

Alexandra Borges

No comments so far.

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *